musica   / ARRASOU!

Ludmilla é a primeira mulher negra latina a atingir 1 bilhão de streams no Spotify

A cantora de 25 anos agradeceu aos fãs nas redes sociais e relembrou sua trajetória no universo musical

Publicado quinta 3 setembro, 2020

A cantora de 25 anos agradeceu aos fãs nas redes sociais e relembrou sua trajetória no universo musical
Ludmilla - Instagram

Na última quarta-feira (2), Ludmilla tornou-se a primeira mulher negra latina a atingir a marca bilionária de streams no Spotify.

+++LEIA MAIS: Miley Cyrus esbanja vocais em cover de Billie Elish e performa novo single; vem assistir!

No Instagram, a cantora de 25 anos agradeceu os fãs, dizendo que, “para uma mulher preta que veio da baixada, isso é muito.”

“Quando comecei a cantar, aos 15 anos, fazendo shows em cima de cadeiras – porque não tinha palco para me apresentar – jamais poderia imaginar que eu teria milhões de visualizações, muito menos que chegaria a um bilhão“, escreveu Lud, relembrando sua trajetória na indústria fonográfica.

Depois, ela mandou um recadinho para os fãs, agradecendo carinhosamente pelo apoio imensurável: "Eu pisquei e vocês me deram um presente incrível: chegamos a marca de 1 BILHÃO DE STREAMS. A todos os meus fãs, muito obrigada do fundo do meu coração, vocês me fizeram chegar até aqui e são vocês que me impulsionam a fazer cada dia mais e melhor. Eu tenho os melhores fãs do mundo.”

+++LEIA MAIS: Larissa Manoela convida Luísa Sonza para um feat e cantora aceita

Veja o post abaixo:
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Eu pisquei e vocês me deram um presente incrível: chegamos a marca de 1 BILHÃO DE STREAMS A todos os meus fãs, muito obrigada do fundo do meu coração, vocês me fizeram chegar até aqui e são vocês que me impulsionam a fazer cada dia mais e melhor. Eu tenho os melhores fãs do mundooo Quando comecei a cantar, aos 15 anos, fazendo shows em cima de cadeiras – pq não tinha palco para me apresentar – jamais poderia imaginar que eu teria milhões de visualizações, muito menos que chegaria a um BILHÃO. Pra uma mulher preta, que veio da baixada, isso é muito. E saber que sou a primeira negra latina a fazer isso só me impulsiona e me lembra que, sim, somos possíveis e cada vez mais estamos sendo mais e mais possíveis. Meu Deus, muito obrigada!

Uma publicação compartilhada por Ludmilla (@ludmilla) em

Último acesso: 03 Dec 2020 - 03:27:01 (1043172).